O que é?

A laparoscopia é uma cirurgia realizada através de pequenos cortes feitos no abdome. Faz parte das chamadas minimamente invasivas e promove menos dor pós-operatória e retorno da paciente às suas atividades normais em menor tempo que nas cirurgias convencionais.

Como é realizada?

É uma cirurgia realizada no hospital, onde a paciente é mantida inconsciente e intubada sob anestesia geral. Através de agulha delicada, é insuflado gás carbônico dentro da cavidade abdominal e são realizados alguns cortes no abdome por onde a cirurgia acontece.  Por um dos cortes é colocada uma câmera e as imagens são transmitidas para toda a equipe cirúrgica por meio de um monitor. As imagens da cirurgia são arquivadas em mídia digital para análise posterior. São realizados outros pequenos cortes (o número de cortes pode variar de acordo com o órgão que será tratado) por onde são introduzidas pinças laparoscópicas para a realização da cirurgia. Os instrumentos são muito delicados e permitem a identificação precisa de estruturas como os órgãos, os vasos e os nervos, e, dessa forma, a maior preservação dessas estruturas quando comparada com a cirurgia convencional. Sempre que forem retirados órgãos ou fragmentos destes (biópsias), todo esse material é encaminhado ao laboratório pelo hospital onde ocorreu a cirurgia para estudo anátomo patológico.

É importante saber que a laparoscopia pode ser realizada de forma agendada (eletiva) ou em caráter de urgência, sempre no hospital.

Principais indicações médicas

A laparoscopia pode ser indicada para:

  • Tratamento de miomas uterinos
  • Retirada do útero (histerectomia)
  • Doenças dos ovários: cistos, nódulos, endometriose
  • Aderências pélvicas
  • Endometriose
  • Hidrossalpinge e outras doenças das tubas uterinas
  • Infertilidade
  • Tumores ginecológicos (câncer de útero, ovário, endométrio)

Como é a recuperação pós cirúrgica?

A recuperação pós-cirúrgica é mais rápida e menos dolorosa quando comparada à cirurgia convencional.